Dia do Parapsicólogo

Internacional de Parapsicologia e nesta ocasião a Parapsicologia foi reconhecida como uma Ciência.

Em Joinville através da lei municipal nº 4.822 de 16/09/2003, foi criado oficialmente o “Dia do Parapsicólogo” a ser comemorado no dia 29 de julho.

Os Parapsicólogos do Sistema Grisa, estudam o ser humano como o desencadeador dos fenômenos paranormais e afirmam que a mente humana produz energia para o acontecimento e realização desses fenômenos. Os parapsicólogos do Sistema Grisa também desenvolvem trabalho inovador de ajuda terapêutica e a Parapsicologia Clínica desponta como a ciência de um novo tempo, por fazer-se descobrir, em cada um, o poder de direcionar a própria vida, canalizando seu “Poder Extra” em seu benefício e dos outros. No entanto, muita gente ainda tem medo de ir ao parapsicólogo. O que acontece muitas vezes, mais que o preconceito ou a falta de informação é a dificuldade em tomar a decisão de pedir ajuda.

A Parapsicologia Clínica trata de coisas que acontecem com todo mundo, estuda experiências humanas subjetivas que podem ocorrer em qualquer época da vida e em qualquer lugar. Cada coisa que acontece em nossa vida é registrado no subconsciente, somos produtos do que presenciamos ou vivenciamos quer no período da vida intra-uterina, no nascimento, na infância, na adolescência ou outras etapas da vida. O que foi impresso na mente pode ser que passe despercebido, mas, em algum momento, ele vai determinar alguma ação/reação em nossa vida, interferindo em nossa realidade.
Tudo que acontece, tendo resultados positivos ou negativos, fica registrado, gravado e programado em nossa mente. Se vivermos alguma situação marcante e desagradável, que nos gere ansiedade, tristeza, medo, culpa ou angústia temos que tratá-la, pois ela vai ficar sempre no subconsciente como forma de programação negativa e prejudicial.

O Parapsicólogo tem a missão de desmontar os fantasmas de nossa mente, transformar a forma de perceber a experiência. Essa é a verdadeira Alquimia, onde o “Cobre” se transforma em “Ouro”.  Um metal com pouco brilho, sem luz (Trevas) em um metal brilhoso, iluminado, com luz (Céu-Paraíso).
Quando a pessoa se liberta de seus conflitos emocionais, ela é capaz de olhar para si mesmo e para outras pessoas de forma verdadeira e mais consciente, pela “Luz” da Razão e assim adentrar as portas do Céu (Iluminação).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.