Hipnose: Tratando dores crônicas

FONTE: abc.go.com Tradução: www.sbhh.org.br

Os americanos estão vivendo com dores. Cinquenta milhões deles sofrem de dores crônicas, dez milhões sofrem de dores nas costas, oito milhões têm fibromialgia e cerca de quarenta milhões sofrem de dores de cabeça crônicas. Drogas, injeções e cirurgias são métodos comuns de se tratar a dor, mas cerca de metade dos pacientes não se beneficiam dos tratamentos padrões. Esta é a razão pela qual os médicos estão buscando novos métodos de combate à dor. A ioga é um método comprovado. Num estudo realizado na Universidade da Califórnia (UCLA), pacientes com dores crônicas reduziram a quantidade de medicamentos e se sentiram melhor após quatro semanas. Pesquisadores do Hospital de Clínicas da Universidade de Iowa estão usando a hipnose para aliviar a dor. Pesquisas demonstram que a técnica pode na realidade mudar a maneira que o cérebro processa a dor. “A hipnose tem uma eficácia provável na faixa de 65 a 70 por cento,” afirma o anestesiologista Sebastian Schulz-Stubner, da Universidade de Iowa. O Dr. Scott Brady, fundador do Brady Institute for Health/Florida Hospital em Orlando, Flórida, afirma que o estresse pode sobrecarregar o corpo e tornar a dor pior. Seu programa de tratamento inclui a manutenção de um diário pelos pacientes, além de meditação e exercício. “Eu era cético. Todos meus pacientes eram céticos,” afirma. “Existe esperança. Tente, você ficará melhor.” O Dr. Brady afirma que existem cinco personalidades pré-dispostas à dor. O perfeccionista tem algo a provar. Aquele que satisfaz as pessoas preocupa-se em ser aceito. O legalista tem que estar correto. O estóico contém sentimentos reais. E o temeroso espera o pior. Após completar o programa de tratamento, a paciente Anna Kercher, que mal conseguia levantar-se da cama, agora anda de jet ski com sua família: “Este tratamento me deu respostas, e também esperança.” Outros estudos demonstram também que a acupuntura e uma boa nutrição pode aliviar as dores crônicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.