Segredo da Levitação Revelado (há 70 anos)

lev1“Alguns médiuns físicos dizem ter experimentado levitações. Um dos mais famosos é Colin Evans. A fotografia foi capturada em infravermelho durante uma sessão em 1938. Comparação com várias outras fotos deste evento mostra que ele permaneceu no ar por um bom tempo!”

Ou não. Nunca prestei muita atenção a esta foto, tendo-a visto inúmeras vezes. Sempre presumi que era uma fraude e o sujeito provavelmente estivesse suspenso por um cabo invisível ou apagado da imagem. Algo similar a uma outra foto famosa do “médium” brasileiro Mirabelli.
Bem, eu estava errado. Em verdade Evans “levitou” através de outro método. Você pode adivinhar qual foi? Continue lendo para mais fotos de suas levitações que podem ajudar a desvendar este mistério nada profundo.
E que tais estas:
Notou como os pés parecem desaparecer? Talvez algum tipo de distorção gravitacional? As fotos tomadas lateralmente também revelam a curiosa posição de seu corpo, e todas elas (que registram pelo menos duas levitações diferentes) mostram algum tipo de cordão branco em sua mão esquerda. Ectoplasma?
lev3E você, já solucionou o “mistério”?
“[A fotografia] é simplesmente hilária. É uma imagem capturada com flash de uma sessão realizada no Wortley Hall em Finsburg Park, Londres, mostrando uma platéia segurando as mãos e o médium Colin Evans ‘levitando’. Um cordão saindo de um dispositivo na mão de Evans indica que foi ele que ativou o flash – um detalhe crítico já que a evidência da própria foto revela o mecanismo da ‘levitação’ e indica assim sua natureza momentãonea: os pés de Evans são um borrão acima do encosto de sua cadeira, seu corpo está em uma posição parcialmente curvada e seu cabelo está desarrumado. Se pular no ar de uma posição curvada [sobre uma cadeira] é levitar…”, comenta o investigador cético Joe Nickell em Camera Clues: A Handbook for Photographic Investigation.

E isso é tudo, pessoal, as fotografias mostram Evans pulando. Seu movimento foi congelado pelo flash, que ele mesmo ativou com aquele cordão, mas o efeito não foi perfeito, uma vez que seus pés ainda ficaram borrados pelo movimento.
Uma dúvida que pode pairar, não exatamente sobre a levitação, é como a multidão não denunciou a fraude. Seriam todos cúmplices?
Em verdade, o parapsicólogo caçador de fantasmas Harry Price já sabia a resposta pouco depois das apresentações de Evans. Pode-se ler em “Fifty years of psychical research: a critical survey”, publicado em 1939, poucos meses após as fotografias:
“Outra sessão insatisfatória foi conduzida … no Regent’s Park, em 27 de maio de 1938 com o senhor Colin Evans. Este médium alega que, em completa escuridão, ele é ‘levitado’. As senhoras A. Peel Goldney, Henry Richards e outros pensam que neste teste particular nenhuma levitação ocorreu e o cheque pago ao médium foi devolvido aos espectadores. Uma fotografia da suposta levitação psíquica deste médium foi publicada no Daily Mirror de 13 de junho de 1938. Veja também Photography de janeiro de 1939: “Como fotografias podem ser obtidas de um homem aparentemente levitando, mas em verdade pulando”, é registrado graficamente (com ilustrações) em Proc., SPR, Vol. XLV, Part 158, pp. 196-8”.
E isso é realmente tudo. Colin Evans conseguiu encher um salão, mas só podia “levitar” em escuridão completa! Por isso nenhum dos presentes na fotografia está olhando para o homem flutuando no ar. Ou pulando. Ninguém estava vendo nada, e em retrospecto pode-se notar como os olhos de todos fixam o vazio. Não foi usada fotografia infravermelha: as imagens foram capturadas com flashes, que congelaram o movimento de um charlatão pulando do alto de uma cadeira no escuro.
As fotos eram tudo que Evans queria, e foram publicadas em um jornal de grande circulação. Ainda que mesmo alguns dos presentes provavelmente tenham percebido o que havia ocorrido, ou no mínimo não se tenham satisfeito em não ter visto nada, o resto virou história, ou melhor, ainda outra comprovação de que uma imagem enganadora acaba ecoando muito mais do que a explicação completamente sem graça.
Fotografias de Evans pulando têm sido reproduzidas há 70 anos, com rara menção ao que realmente registram. No trecho em que citamos Nickel, o cético critica como a fotografia é exibida no livro de Joyce Robins, “The World’s Greatest Mysteries” (1989), ou “Os Maiores Mistérios do Mundo”, com a legenda: “prova irrefutável de que a força da gravidade pode ser desafiada”.
Ceticismo, ele é necessário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.