Um insigth sobre Deus…

No início, o Que É…, era tudo que havia…, porém, Tudo Que É não podia conhecer-se, porque não havia mais coisa alguma.
Então, na ausência de outra coisa, Tudo Que É…, não é…
Esse é o grande SER ou Não SER a que os místicos se referem desde o início dos tempos…
Tudo o Que É sabia que era tudo que existia, mas isso não era suficiente, porque só podia conhecer a sua total Magnificência conceitualmente, não experimentalmente.
Tudo o Que É só poderia saber como era ser Magnificente, quando o que não É surgisse o Tudo; E Tudo decidiu conhecer-se experimentalmente…
Essa Energia Pura, não vista, não ouvida, não observada e, portanto, desconhecida por qualquer outra energia, decidiu experimentar a Si Própria em toda a sua magnificência.
Para fazer isso, percebeu que teria de usar um ponto de referência interno (O É, Não É; O Sou, Não Sou), pois não existia uma referência externa.
Deduziu que qualquer parte se Si Próprio teria necessariamente de ser menos do que o Todo, e que se simplesmente se dividisse em partes, cada uma delas, sendo menos do que o Todo, poderia olhar para o Todo e ver Magnificência…
Então Tudo Que É dividiu-se…, e pela primeira vez, existiram Isto e Aquilo, bem separados um do outro, e ainda assim, simultaneamente.
Portanto, existiram subitamente Três elementos: O que está aqui;
O que está lá; e o que não está aqui nem lá; mas que deveria existir para que lá e aqui existissem…
É o NADA que contém o TUDO. É o não-espaço que contém o espaço. É o TODO que contém as partes. Esse Nada que contém o Tudo é o que algumas pessoas chamam de Deus…

As pessoas que acreditam que Deus é Tudo o Que É…, e Tudo o Que não É…, são aquelas cuja compreensão é correta.
No momento dessa grande explosão interior, Deus criou a Relatividade, a MAIOR DÁDIVA que Ele já deu a Si Mesmo.
Portanto, do Nada surgiu o Tudo; um evento espiritual
que os cientistas chamam de Teoria do Big Bang. E daí surgiu o Tempo, que é o período ENTRE o aqui e o lá…
Deus sabia que para o AMOR existir e conhecer-se como Amor puro, seu exato oposto também tinha de existir…, por isso, Ele criou voluntariamente a grande Polaridade: o oposto absoluto do Amor. Tudo o que o Amor não é, o que agora é chamado de Medo.
No momento em que o Medo existiu, o Amor pode existir como algo que podia ser EXPERIMENTADO…. (aqui entro em êxtase puro).
É essa criação da Dualidade entre o Amor e o seu Oposto
que os seres humanos se referem em suas várias mitologias.
Do mesmo modo como vocês escolheram personificar o Amor Puro como Deus…, escolheram personificar o Medo como demônio.
Os homens criaram mitologias bastante elaboradas em torno desse evento, cheias de cenários de luta e guerra, anjos e demônios. As forças do bem e do mal, da luz e das trevas…
As mitologias foram as primeiras tentativas da humanidade de compreender uma ocorrência cósmica da qual a ALMA humana está muito consciente, mas que a MENTE mal pode conceber.
Criando o Universo como uma versão dividida de Si Mesmo, Deus produziu, a partir da pura energia, tudo que agora existe, Visível e Invisível; Mundo Físico e Metafísico.
Compreendendo Deus como uma equação, Numerador Eu Sou;  Denominador Não Sou.  Esta segunda metade também explodiu em um número infinito de unidades menores do que o TODO.

Essas unidades de energia vocês chamam de Espíritos… filhos de Deus-Pai.
O propósito divino de Deus ao Se dividir…, foi criar partes suficientes Dele para poder conhecer Ele mesmo experimentalmente.
Há apenas uma forma de o Criador conhecer-Se experimentalmente como tal, e essa forma é Criar…
E então, Ele deu às inúmeras partes Dele (a todos os Filhos Espirituais) o mesmo poder de Criar que Ele tem como o Todo.
Criados à Imagem e Semelhança de Deus…, significa que nossa essência é a mesma, SOMOS a mesma essência…!
Com as mesmas habilidades e propriedades, inclusive a habilidade de criar a realidade física a partir do nada….
“Meu objetivo ao Criá-los, Meus Filhos Espirituais…, foi conhecer a Mim Mesmo como Deus. Só posso fazer isso através de Vocês…
Portanto, pode-se dizer (como foi dito muitas vezes) que o Meu objetvo é que vocês se conheçam como
EU…
Isso parece muito simples, mas se torna muito complexo
porque só há um modo de vocês se conhecerem como EU…
PRIMEIRO SE CONHECEREM COMO NÃO EU…
Há um modo pelo qual Eu podia ter feito todos os Meus Filhos Espirituais se conhecerem como partes de Mim: simplesmente dizer-lhes o que eram. Isso eu fiz… Mas não foi suficiente para o Espírito simplesmente conhecer a Si mesmo como Deus…
Pois saber e experimentar são duas situações diferentes.
O Espírito ansiava por CONHECER-SE EXPERIMENTALMENTE (como Eu fiz!).
A consciência conceitual não foi suficiente para vocês…
Então, eu elaborei um plano e a colaboração mais ESPETACULAR,
porque todos vocês estão participando disso Comigo.
Segundo o plano, vocês como espíritos puros entrariam no Universo físico recém-criado. Isso porque a MATERIALIDADE É O ÚNICO MODO DE SABER
EXPERIMENTALMENTE O QUE SE SABE CONCEITUALMENTE…
Uma vez no universo físico vocês, Meus Filhos Espirituais,
podiam experimentar o que sabiam sobre si mesmos;
mas primeiro tinham de conhecer o oposto.
Vocês só podem experimentar a si mesmos como o que São…,
quando se deparam com o que não são…
É essa a finalidade da Teoria da Relatividade, e de toda a vida física.
Vocês só podem experimentar a si mesmos como o Criador quando Criam… E só podem Criar a si mesmos quando se destroem… Primeiro têm que “não ser” para SER…
Então vocês fizeram a melhor rota a seguir:
Obrigaram-se a esquecer QUEM REALMENTE SÃO…
Ao entrarem no universo físico, renunciaram à lembrança de si mesmos… Isso lhes permite ESCOLHER SER Quem São, em vez de apenas, por assim dizer, acordar no castelo.
É no ATO DE ESCOLHER SER  em vez de simplesmente ser-lhes dito que São, que vocês se experimentam como Criadores…, como Deuses…
Vocês são sempre foram e sempre serão uma parte divina do Todo Divino, um membro do corpo.
É por isso que o ato de reincorporar-se ao Todo,
de voltar para Deus, é chamado de lembrança.
Vocês de fato ESCOLHEM lembrar QUEM REALMENTE SÃO…, unir-se às suas várias partes para experimentar o seu Todo, ou seja, TUDO DE MIM…
Portanto, sua função na Terra não é aprender (porque já sabem), mas lembrar-se de Quem São; e de quem todas as outras pessoas São…
É por isso que uma grande parte de sua função é LEMBRAR AOS OUTROS  (isto é, relembrar), para que também POSSAM LEMBRAR-SE…
Todos os maravilhosos mestres espirituais têm feito justamente isso… Esse é o ÚNICO OBJETIVO DA SUA ALMA…”
Ass. O Criador…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.